25 anos de enfermagem

0
524

O curso de graduação em Enfermagem do Centro Universitário São Camilo completa, em maio, 25 anos de existência. Mantido pela União Social Camiliana, fundada em 1954 pelos Padres Camilianos, a origem deste curso está ligada à Escola de Enfermagem São José, da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, onde funcionou até 1982.
Reconhecido pela formação séria e de qualidade que oferece aos seus alunos, o curso de enfermagem é ministrado nos campi Pompéia e Ipiranga do Centro Universitário. São 47 turmas de graduação, com aproximadamente 1.700 alunos, divididos nos períodos matutino, vespertino e noturno. “Inicialmente, o curso era em período integral. Com o passar dos anos, vimos que seria melhor condensar a carga horária. Muitos dos nossos alunos trabalham na área de saúde, são técnicos ou auxiliares de enfermagem. Por isso, o período integral facilita o cumprimento da carga horária”, observa a coordenadora do curso, enfermeira Denise Augusto da Costa Lorencette.
Segundo Denise, o número de mulheres que querem seguir a carreira ainda é maior do que o de homens. É preciso atentar quanto ao perfil do profissional – seja do sexo feminino ou do masculino. “Tem que gostar da área porque muitos acham que fazer enfermagem é ter emprego garantido e é bonito. Muitos procuram, inclusive, porque querem ajudar alguém. São princípios interessantes, mas é preciso realmente gostar de cuidar de gente. Precisa ter espírito de investigação, porque a enfermagem tem princípios na área de pesquisa, além de ter facilidade de relacionamento e de comunicação, porque o enfermeiro vai trabalhar essencialmente com pessoas em momentos difíceis da vida dela”.
Humanização
Outro ponto abordado por Denise é a necessidade cada vez maior da humanização dos hospitais. A coordenadora explica que três eixos são seguidos, sendo que o que norteia a formação do enfermeiro é a bioética e a humanização. “Quando se fala em bioética, entra a questão do respeito, da dignidade do ser humano, dos direitos do paciente, do sigilo profissional, da comunicação com o paciente, entre outros. E a humanização é muito importante porque os hospitais evoluíram muito, são planejados e têm tecnologia de ponta. Mas, aliado a isso, é preciso ter pessoas que atendam realmente o paciente, não só na parte técnica, mas na humana”, observa. Atenção à saúde (promoção, educação e reabilitação) e ciclo vital (saúde da criança, do adolescente, do adulto, da mulher e do idoso) são os outros dois segmentos.
Entre as comemorações dos 25 anos do curso de enfermagem, o Centro Universitário São Camilo realizou, em maio, a 18ª Semana de Enfermagem nos campi Ipiranga e Pompéia. “Pesquisar e Cuidar: Tecendo e Unificando Competências” foi o tema desse ano que envolveu professores e alunos.
Além da graduação, o Centro Universitário São Camilo oferece também cursos de pós-graduação Lato Sensu (especializações na área da saúde, gestão e educação, incluindo o MBA em Gestão de Planos de Saúde e Gestão de Promoção de Saúde e Qualidade e Controlaria e Finanças de Vida nas Organizações) e Stricto Sensu (Mestrado em Bioética).
De 12 a 13 de junho, o Centro Universitário realiza o 8º Congresso Brasileiro de Qualidade em Enfermagem (Enfsquare), no Expo Center Norte. O tema central será “Saúde Brasileira – Um compromisso de todos para uma gestão transformadora e ética”. O congresso é aberto ao público e as inscrições podem ser feitas até 25 de maio.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA