Agulhas prá esquentar o frio

0
295

Foto: Lucia Oliveira

Lucia Oliveira
Cursos de tricô para quem quer fazer blusas e outras vestimentas

A procura por cursos de trabalhos manuais, especialmente tricô e crochê, cresce no inverno, quando muita gente ganha renda extra e gosta de desfilar com criações próprias feitas em lã.

Agora que o friozinho chegou, a animação no primeiro andar da casa onde funciona o Bazar Ana Maria, em Perdizes, aumenta ainda mais. É lá que acontecem, várias vezes por semana, as aulas de tricô, crochê, tapeçaria e patchwork, muito procuradas por moradoras do bairro. Com agulhas e lãs nas mãos, as alunas opinam umas sobre o trabalho das outras. Entre as criações, estão mantas em crochê que serão doadas a uma ONG, cardigans para presentear a filha, cachecóis e gorros em tricô para os netos e xales que serão vendidos na própria loja ou encomendados por uma amiga. “Mas nós gostamos é de fazer peças para nós mesmas”, confessa Sônia Cintra, que frequenta as aulas há mais de 10 anos.

O curso, descreve Vera Martins – que também ‘é velha de casa’, como ela mesma diz – é nossa terapia. “Aqui a gente trabalha bastante, aprende, mas se diverte muito também. O tempo passa tão rápido que a manhã vai embora e a gente nem percebe”.

Além de tricotear, oportunidade para fazer amizades. (Lucia Oliveira)
Além de tricotear, oportunidade para fazer amizades. (Lucia Oliveira)

A professora Lourdes Arcas Golás, que dá aulas de tricô, crochê e tapeçaria às terças-feiras pela manhã, tece elogios às suas alunas. “Elas trabalham muito bem. É uma turma muito animada e interessada, todas nós trocamos experiências e aprendemos umas com as outras”, descreve Dona Lourdes, que tem 82 anos e há 14 dá aulas no Bazar Ana Maria. “O trabalho manual é algo que vicia, quanto mais você faz e aprende novas técnicas, mas você quer fazer”.

Para o proprietário da loja, Ricardo Ito, manter um espaço para aulas de trabalhos manuais significa mais lucro. “As aulas ajudam muito a aumentar a divulgação da loja”, afirma. O Bazar Ana Maria é um armarinho completo. Oferece grande variedade de lãs, linhas, agulhas, material para tapeçaria e patchwork, além de aviamentos e tecidos para forração de caixas.

Ricardo Ito, dono do Bazar Ana Maria (Lucia Oliveira)
Ricardo Ito, dono do Bazar Ana Maria (Lucia Oliveira)

Ito explica que quando decidiu abrir a loja em Perdizes, em 2004, já procurou por um espaço que pudesse ser usado para os cursos. “Já tínhamos a experiência da nossa primeira loja, que funciona em Moema, onde também oferecemos aulas de trabalhos manuais. Como Perdizes tem um perfil parecido, decidimos copiar o modelo”, lembra.

Estilo 7

As aulas acontecem de terça a sábado pela manhã, das 9 h ao meio dia e às segundas, quartas, quintas e sextas à tarde, das 13 h às 16 h. (LO)

Bazar Ana Maria, Rua Cardoso de Almeida, 1.111, Perdizes, Telefone 3871-1928, Instagram: @bazaranamaria

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA