Batista vira patrimônio

0
1015

O Colégio Batista Brasileiro (CBB) é um marco na região de Perdizes. Depois de dois anos, está entrando em nova fase, e se prepara para dar um grande salto de qualidade, com investimentos em reformas, tecnologia e capacitação da equipe. O processo de negociações de repasse de parte do terreno foi encerrado e o Batista inicia um amplo programa de modernização do prédio histórico, tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Compresp) com efeitos a curto, médio e longo prazos.
Segundo o diretor do Batista, Gézio Duarte Medrado, uma das vantagens do tombamento do Colégio é a oportunidade de obter, através de programas de incentivo governamental, benefícios como a restauração da fachada, salas e auditório onde poderão ser realizados eventos culturais. “Além da conservação do prédio como elemento histórico dentro da idéia de monumento municipal para que aqueles que aqui passaram possam acompanhar a importância deste marco para São Paulo e Perdizes”, diz. O diretor ainda acrescenta que, para o bairro, a vantagem é que o prédio do Batista não pode ser desfigurado e no entorno não poderão ser erguidas edificações que dificultem a visibilidade do Colégio. “Para se construir em uma área de 300 metros em torno do Batista é preciso autorização do Compresp”.
Uma das primeiras mudanças será a construção de um novo prédio para a Educação Infantil. Nessas novas instalações, as crianças terão mais conforto e equipamentos modernos para os primeiros anos de formação. Os alunos do Ensino Fundamental também vão ganhar muito nessa nova fase do Batista. Eles continuarão usando o prédio principal, que também passará por reformas estruturais para garantir conforto e segurança aos alunos sem perder seu charme e seu estilo quase centenário. O Ensino Médio passa a ocupar o prédio verde, que, mesmo em ótimo estado, também receberá tratamento para receber os novos equipamentos.
“Os alunos e ex-alunos se regozijaram porque há a certeza de que o prédio será mantido. Não há possibilidade de ser substituído. O prédio tem uma arquitetura majestosa, estrutura sólida e uma aparência positiva para os moradores”, observa Gézio.
Completado o processo de tombamento, a fachada será restaurada e o jardim frontal será revitalizado, transformando-se num espaço ecológico e de convivência para alunos, pais e professores. O Arquivo Histórico será organizado para servir como fonte de pesquisas sobre o colégio e a região.
As quadras gêmeas darão lugar a um moderno ginásio poliesportivo. Outras duas quadras serão contruídas e os pátios passarão por reforma. O Salão Nobre também será contemplado, inclusive com tratamento acústico para receber apresentações culturais. Todas as obras serão realizadas dentro de um planejamento rigoroso para não prejudicar as aulas nem comprometer a segurança dos alunos.
O investimento em recursos didáticos será o maior que o Batista já fez em toda a sua história de mais de cem anos. Eles incluem capacitação para professores e outros funcionários, equipamentos de última geração, como computadores, material esportivo, datashow, integração de mídias e muito mais. Por meio de parcerias que já estão sendo negociadas, o Batista voltará a formar grandes equipes esportivas, abrigar eventos culturais e oferecer mais cursos alternativos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA