Bar do Alemão chega aos 50 anos com muito samba

0
881

Foto: Tiago Gonçalves

Tiago Gonçalves
Eduardo Gudin mantêm o Bar do Alemão com muita música ao vivo!

Além de uma boa comida e boa bebida, o Bar do Alemão é um ícone na cidade para quem curte uma boa música ao vivo.

A música sempre presente na história do Bar do Alemão que em novembro de 2018 comemorou 50 anos e teve uma homenagem ao compositor Paulo César Pinheiro que veio do Rio de Janeiro, especialmente para o evento. “Foi maravilhoso e o Paulo Cesar Pinheiro merece. Ele sempre frequentou o bar quando está em São Paulo. Os músicos só cantaram músicas dele! Ele ficou emocionado e até fez um discurso, coisa que nunca imaginei!”, resume Gudin sobre a festa dos 50 anos do Bar do Alemão.

O Bar do Alemão abriu suas portas em 1968. Época de tempos difíceis e liberdade restrita, até na música. Murilo de Barros, músico e boêmio sonhava em ter seu próprio bar foi o primeiro dono. Depois o pandeirista Dagoberto Moura assumiu o bar até sua morte, quando então seu filho, tempos depois, e com dificuldades em manter o bar aberto, vendeu para um dos mais fiéis frequentadores, Eduardo Gudin, músico, cantor e compositor de sucessos como ‘Verde’ e ‘Mordaça’ que fez em parceria com Paulo Cesar Pinheiro.

“Quando tive a oferta de comprar o bar, aceitei na hora. Eu vinha aqui direto, nos anos 1971, o bar era uma referência de boa música brasileira ao vivo. Eu vinha com meus amigos músicos e da faculdade. Aqui encontrava com o pessoal do MPB4, Nelson Cavaquinho, Paulo Cesar Pinheiro entre outros. Aqui também se reunia os jornalistas da TV Cultura, Estadão, Folha de S. Paulo que saiam da redação e terminavam a noite aqui”, conta Gudin enquanto a cantora Lela Simões fazia sua apresentação acompanhada no violão por Maurício Sant’Anna e na percuss&a tilde;o por Mapyu. Aliás, Eduardo Gudin e Lela vão lançar neste ano, um trabalho novo, com músicas dele.

Muita gente boa de música se apresentou e se apresenta no bar. Adoniram Barbosa, Paulinho da Viola, Yamandu Costa, Leila Pinheiro, Vânia Bastos, Paulo Vanzolin. A lista é longa.

Gudin, conta como cuida do bar e da sua carreira artística. “Venho sempre e gosto de estar aqui entre os clientes e amigos. Eu não saberia aonde ir se o Bar do Alemão não existisse. Mantenho a administração do bar e a minha carreira separadamente. Conto com uma boa equipe administrativa e dos garçons, antigos de casa. Eventualmente faço algumas apresentações.”

Uma dica para quem quiser curtir uma apresentação do Gudin. No projeto Quinta da Canja, Gudin fará o show de estreia desta nova temporada, segundo Livia Mannini, produtora musical do bar, “além do Gudin, Sérgio Arruda (violão e voz) e outros músicos e cantores que queiram dar uma ‘canja’!” Na quinta seguinte, é a vez do projeto Canção Presente com a apresentação de novos compositores.

bar do alemao31-DPP-JAN

O bar tem um cardápio bem saboroso com pratos e petiscos como os canapés mistos, por exemplo. Chope gelado, uísque e outros destilados completam a carta de bebidas.
Como a música é o grande atrativo do bar, a cada dia da semana é especial e o couvert artístico varia de acordo com o dia. Roda de Choro (segunda), Terça, o violão de João Macacão, com seus choros, sambas e serestas. Às quartas, tem o Samba no Alemão, Sexta e sábado são dias de música popular brasileira com os músicos da casa.

bar do alemao16-DPP-JAN

O cinquentão Bar do Alemão vai continuar a oferecer música brasileira de qualidade e promete Gudin que vai continuar “por muitos anos ainda”. E segundo a frase de Paulo Cesar Pinheiro grafada no bar “e que a nossa emoção sobreviva!”. (GA)

Bar do Alemão, Av. Antártida, 554, Água Branca, Telefone 3862-5975, www.bardoalemao.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA