Lei muda comportamento

0
1420

Desde a implantação da nova Lei Federal 11.705 em 20 de junho último, conhecida popularmente como “Lei Seca”, que proíbe motoristas de dirigirem com qualquer nível de teor alcoólico no sangue, bares de São Paulo estão passando por adaptações e criando formas para que seus clientes não infrinjam a norma.
Em nosso bairro, a novidade também atingiu o movimento dos bares e restaurantes na mesma proporção. Para saber como estão convivendo com esta nova regra, entrevistamos três proprietários de conhecidos estabelecimentos: Krystal Chopps, Pantanal Grill e Bar do Elias.
Para Antonio Carlos Sernaglia sócio do Krystal Chopps, tradicional bar com 37 anos de funcionamento, “em um primeiro momento, o movimento caiu, mas com o final das férias escolares o movimento está voltando ao normal e temos muitos clientes no bairro, que preferem vir ao Krystal caminhando”. Firmou uma parceria com os taxistas da região que oferecem desconto para os clientes do bar e quem vem de carro pode deixar até a manhã do dia seguinte o veículo no estacionamento conveniado.
Flávio Martins sócio do Pantanal Grill, como cidadão, apóia a nova lei. “Cansei de presenciar acidentes aqui na Avenida Sumaré com jovens, embora não acho que é apenas por causa da bebida.” Percebeu que os casais que vêm para dançar, muitos de prédios próximos ao Pantanal, “vêm a pé ou um dos pares fica sem beber”. Os clientes de outros bairros e o executivo que fazia um happy hour anda sumido. Estuda fazer uma parceria com os taxistas próximos e dar desconto na corrida ou implantar uma van para levar os clientes até em casa, aqui na região.
Outro que apóia a lei é Sidney Elias do tradicional Bar do Elias, local onde se reunem muitos fãs de futebol. Embora diga “que a lei deveria ser mais branda. Multar pode ser, mas prender é demais!”. Desde a implantação da lei o movimento teve uma queda de 20% porém viu crescer a clientela que mora na redondeza. Fez um acordo com os taxistas próximos que dão 5% de desconto aos clientes para as corridas dentro do bairro.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA