No embalo da “Big”

0
1343

As big bands foram muito populares dos anos 1920 aos anos 1950, período conhecido como a Era do Swing. O tempo passou e muitas big bands se modernizaram, ou seja, se antes este grande grupo instrumental era associado ao jazz, outros ritmos foram sendo incorporados. No Brasil, várias big bands fizeram e fazem sucesso até hoje. Aqui em Perdizes temos a “Big Banda da Santa”, ligada à Faculdade Santa Marcelina.
A banda foi fundada em 2001, pelo maestro Paulo Tiné com o intuito de formar um repertório de arranjos “clássicos”, como os dos compositores Sammy Nestico, Thad Jones e Gil Evans e, ao mesmo tempo, se dedicar a arranjos mais contemporâneos de músicos como Moacir Santos e Maria Schneider. “A Big começou por iniciativa minha e de alguns alunos. De 1996 a 1998 eu toquei na big band do Roberto Sion e, naquela época, eu já escrevia músicas para big bands”, conta Paulo. “Hoje, a Big tem 19 integrantes e alguns convidados”, diz. E música tocada por big band é para dançar. “As orquestras que surgiram por aqui se adaptaram ao ritmo brasileiro. Nos anos 1990 tentaram retomar um pouco essa coisa do jazz rock. As big bands passaram por muitas transformações, apareceram as big bands inovadoras. Uma elas foi a orquestra do Gil Evans. Ele chegou a gravar um disco com música do Jimi Hendrix. Nos anos 1970 e 80 as bigs tocavam funk. Aqui no Brasil temos a Mantiqueira que cultiva gêneros mais brasileiros, como o choro e o samba. Em Recife tem uma big band que é referência em frevo”, conta o maestro.
A Big Band da Santa tenta fazer um pouco de tudo, segundo Paulo, porque também tem cunho pedagógico, não só artístico. “Já fizemos arranjos da Mantiqueira e de uma maestrina norte-americana chamada Maria Schneider. E, além disso, tem pessoas da escola e da própria Big que escrevem”.
Ele destaca que, quando se apresentam, a energia do público é bastante forte. “Temos um repertório bem eclético, mas se tem uma peça mais densa, converso com o público para que ouça com mais atenção. Normalmente a recepção é legal, até surpreendente”, diz.
A próxima apresentação da Big Band da Santa será em 24 de agosto, no teatro da faculdade. E, no dia 20 de junho, às 20h30, também no teatro, Paulo Tiné lança o CD “Quartetos”, fruto de um outro projeto seu, uma “orquestra popular brasileira”, que tem como base instrumentos brasileiros. Gratuito.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA