No ritmo da bateria

0
1170

Ainda estamos longe do Carnaval, mas os trabalhos nas escolas de samba de São Paulo já começaram a esquentar faz tempo! Na Águia de Ouro, por exemplo, eles nem pararam. Bastou passarem os quatro dias de folia para que um outro projeto caminhasse: as aulas de ritmistas da escola de samba. Uma boa oportunidade para quem quer aprender a tocar instrumentos como tamborim, chocalho, agogô, caixa, repenique ou surdo.
Criada em 1993, a escola de ritmistas da Água de Ouro, que em princípio era destinada apenas às crianças, tinha como objetivo renovar os integrantes da bateria. Em 1999 aconteceu a virada: muitas pessoas iam até a quadra da escola querendo aprender a tocar um instrumento para desfilar no Carnaval. “Foi então que abrimos para os adultos”, conta Armando Guerra Júnior – o Mestre Juca, como é mais conhecido -, diretor de bateria da Águia de Ouro.
Dedicação
Mestre Juca sempre desfilou pela Águia de Ouro. De 1980 até 1988 foi um dos ritmistas da bateria, tocava caixa. Em 1989 passou para a Ala dos Compositores e junto com Douglas (atual intérprete da Escola), Quinzinho, Carlinhos Barbosa e Silvinho, fez o samba para o enredo daquele ano: “Astrologia”. Em 1991, do quinteto de compositores sai Silvinho e entra Douglas Germano, e eles levam para avenida o samba “São Paulo Pátria Minha”. Nesse mesmo ano, Mestre Juca assume o posto de intérprete ao lado de Douglas. Os sambas enredos “Felicidade” (1992) e “Identidade Brasil” (1993) levam também a autoria do Mestre Juca, e em 1993 o atual mestre de bateria da Águia de Ouro se despede das funções de intérprete e autor de samba enredo para assumir o comando da bateria. Desde então, a bateria Águia de Ouro vem sendo nota 10 na avenida ano após ano. Este sucesso nada mais é do que o reflexo de muito ensaio e do relacionamento de parceria que ele emprega com cada um dos ritmistas. Não é raro ver o Mestre Juca com baquetas em punho tocando no meio da rapaziada do ritmo.
É por isso que, todos os domingos, a escola recebe em sua quadra crianças, adolescentes, jovens e adultos, homens e mulheres, interessados em tocar os mais diversos instrumentos. “Geralmente, eles chegam com uma idéia, com vontade de tocar um determinado instrumento. Mas nem sempre aquele instrumento será o melhor para a pessoa, ou o mais fácil de aprender, caso ela não tenha noções de música”, diz Mestre Juca. O que deve ficar claro é que nem todo mundo que participa da escola de ritmistas irá fazer parte da bateria oficial da escola de samba. “Quem ainda está começando e não está apto para acompanhar os outros ritmistas, pode desfilar na ala da bateria”. Atualmente, a Águia de Ouro conta com 80 pessoas na escola de ritmistas e 276 integrantes na bateria.
Se você quiser, ainda dá tempo de aprender a ser um ritmista, e quem sabe, desfilar pela Águia de Ouro no Carnaval 2007. As aulas de bateria acontecem aos domingos, a partir das 17h, na quadra da escola de samba. Aproveite, pois as aulas são gratuitas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA