Programa para gestantes

0
1148

Criado em março de 2006 pela Prefeitura de São Paulo, a Rede de Proteção à Mãe Paulistana oferece assistência integral a gestantes de toda a cidade. O sistema acompanha os atendimentos realizados antes do nascimento (pré-natal) e durante o primeiro ano de vida do bebê. Após o parto, as mães também recebem informações sobre planejamento familiar, além dos métodos anti-concepcionais existentes.
O programa envolve cerca de 27 mil profissionais de saúde e 38 maternidades, 407 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 22 ambulatórios especializados (AE) na cidade de São Paulo. Segundo a dra. Maria Aparecida Orsini, coordenadora do Programa, “conseguimos integrar todos os recursos que existem do SUS no município de São Paulo”, enfatiza. O programa conta com uma central 24 horas que integra todas as maternidades onde a mãe pode ser atendida.
O programa garante a internação para o dia do parto, evitando atropelos de última hora. A paciente que participa do programa faz exames pré-natais, incluindo ultra-som e todo acompanhamento até um ano após o parto. De todos, o pré-natal é o mais importante que toda gestante deve fazer durante a gestação. Atualmente, de 10% a 15% dos partos são cesarianas.
As mães peregrinas, que ficavam vagando à procura de vagas em uma maternidade, são atendidas rapidamente mesmo que tenham algum risco para ela ou o bebê. Essas mães só procuram ou chegam ao hospital na hora do parto. Antes, essa mãe ficava muitas vezes vagando pelas maternidades em busca de um lugar para ter o seu filho. Segundo a dra. Orsini, são várias as mães que vêm de outras cidades, estados e até de outros países para dar a luz ao seu filho aqui em São Paulo. “Todas as mães são atendidas. Não recusamos nenhuma”, afirma a médica.
Para inscrever-se no programa, basta que a gestante procure a UBS mais próxima de sua casa.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA