A caminhada correta

0
1683

Foto:

O quiropraxista Cláudio J. de Souza

O movimento de caminhar é algo que fazemos sem ao menos parar para pensar. Para a maioria, isso se resume em colocar um pé na frente do outro. Mas não é bem assim. Tem muitos sistemas do seu corpo que te fazem ir de um lugar até o outro. O estudo da biomecânica, que é a aplicação dos estudos da mecânica em seres vivos, vem prestando muita atenção em como está a passada do ser humano.
Um workshop traz essa novidade aqui para a região. Criado pelo quiropraxista Cláudio José de Souza, formado pela Universidade Anhembi Morumbi e Western States Chiropractic College (EUA), com especialização em biomecânica e cursos em educação postural e linha de força, o curso é voltado principalmente para profissionais de educação física, mas pessoas de outras áreas da, e mesmo leigos, podem participar.
São quatro horas de duração em que Cláudio passa os princípios da biomecânica, sobre propulsão, transmissão de força, entre outros tópicos e exemplifica através de vídeos de um teste chamado cinemática, que filma a caminhada do paciente por vários ângulos, indo dos pés até os ombros. Com este teste é possível ver os erros durante a caminhada e corrigí-los para prevenir problemas futuros, como quedas e fraturas.
“O profissional olha para você caminhando e fala, por exemplo, que você não está estendendo o joelho, ou você não está fazendo propulsão. Tem toda uma técnica para você corrigir sua caminhada para não ter lesão e problemas de coluna. Se você chuta com a perna direita, você começa a ter flexão do quadril, com isso você encurta a perna, o que vai fazer você ter uma escoliose. É tudo uma compensação”, ele explica.
As turmas são pequenas, com apenas dez pessoas, e acontecem aos sábados pela manhã. Assim que uma turma já é formada, eles marcam a data do workshop. Entre as dúvidas mais frequentes dos alunos, ele fala que “eles não têm noção de onde eles erram na caminhada”. Após feito o workshop, ele costuma indicar seus pacientes de quiropraxia para que dêem continuidade no tratamento. “Se eu alinhar essa pessoa aqui e ela não tiver uma biomecânica boa, ela vai desalinhar de novo”, ele alerta. Para se participar, basta ligar e se inscrever. O custo é de R$ 350.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA