Afinado com a inclusão

0
154

Foto: Lucia Oliveira

Lucia Oliveira
Amélia Cruz com professores e os bonecos utilizados no aprendizado

O Centro de Cultura Musical Perdizes tem aulas de musicalização infantil para crianças com deficiência e aposta em recursos lúdicos e na realização de eventos para ensinar os alunos a tocar instrumentos musicais ou aprender a cantar.

Se alguém perguntar para um dos pequenos alunos do Centro de Cultura Musical Perdizes, uma das escolas de música mais tradicionais da região, quais são as propriedades sonoras, provavelmente ele não vá responder com termos técnicos. Mas, certamente, associará os sons graves, agudos, fortes ou fracos das notas musicais aos simpáticos bonecos Solzete, Agudina, Fabão, Gravão e seus amigos. Essa turminha simpática dá ‘uma mãozinha’ aos professores e torna as aulas de musicalização infantil mais lúdicas e divertidas. “A ideia é ensinar trabalhando com estímulos visuais, além dos sonoros, para tornar a memorização mais fácil”, explica a proprietária e diretora da escola, Amélia Cruz.

Todo o programa de musicalização infantil do Centro de Cultura Musical é pensado para auxiliar no desenvolvimento cognitivo, social e até no processo de alfabetização das crianças. Isso porque, segundo Amélia, estudos comprovam que a prática musical desde a primeira infância desenvolve uma boa memória e a capacidade criativa de improviso.

Cultura e Lazer 3

Recentemente, o programa desenvolvido pela escola foi adaptado para atender também alunos com deficiência. Amélia conta que o desafio da inclusão começou quando a mãe de uma criança com autismo grave e síndrome de Down procurou o Centro de Cultura Musical dizendo que queria que a filha aprendesse música mas não encontrava nenhuma escola que a aceitasse. “Respondi que iria pensar de que forma poderia recebê-la e, a partir de então, em conjunto com uma equipe formada por professores de música, pedagogos e musicoterapeutas, comecei a me informar sobre formas de ajudar a estimular crianças com autismo”, explica a diretora. “Desse estudo, criamos uma metodologia específica para as crianças com deficiência, que adaptamos conforme as especificidades de cada uma”.

Hoje, a escola possui três alunos com autismo e dois com Down. “Como elas precisam do contato visual para interagir, trabalhamos muito no olho a olho e respeitando o tempo dessas crianças”, ressalta a professora Alessandra Fernandes. O progresso, especialmente dos alunos autistas, pode ser comprovado em pouco tempo. “No começo eles se isolam, mas logo já chegam e sorriem para a gente”, descreve outro professor, Marcelo Liborni.

Cultura e Lazer 4Aberto em 2000, o Centro de Cultura Musical recebe alunos a partir dos 8 meses de idade até adultos, desenvolvendo neles a capacidade de criação, improvisação musical e execução instrumental. Para que os pequenos comecem a conhecer e se encantar pelos instrumentos musicais, foi criada a Orquestra Escola Infanto Juvenil, composta por crianças a partir dos três anos. “Participando da orquestra, os alunos têm contato com vários instrumentos e conseguem escolher com qual se identificam mais, para, assim, continuar o aprendizado específico individualmente”, salienta Amélia.

A escola também procura incentivar a participação dos familiares e o contato dos alunos com o público no processo de aprendizagem da música e do canto. Nesse sentido, semestralmente é organizado um grande recital onde todos se apresentam. Outro projeto é o “Música na Esquina”, que acontece quinzenalmente. A escola aproveita a esquina em que está localizada, no cruzamento das ruas Ministro Godoy e Itapicuru, para realizar apresentações com a participação de músicos e bandas. (LO)

Centro de Cultura Musical, Rua Ministro Godói, 556, Perdizes, Telefone 3862-2944, www.centrodeculturamusical.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA