A canção continua no Bar do Alemão!

0
393

Foto: Divulgação

Divulgação
A música brasileira continua em alta no Bar do Alemão.

O fechamento definitivo do Bar do Alemão já tinha data marcada: 15 de novembro. Felizmente, com 51 anos recém completados, o icônico bar da zona Oeste vai continuar aberto. Quem gosta de música, agradece.

Os 50 anos do Bar do Alemão foi capa da edição de fevereiro/19 do GUIA DAQUI PERDIZES POMPEIA. Nela o músico Eduardo Gudin, dono do Bar do Alemão. Apesar das dificuldades para fechar as contas no final do mês, Eduardo Gudin, garantia que o bar continuaria aberto e com uma programação musical admirável pela qualidade dos músicos e cantores que lá se apresentam.

Eduardo Gudin agora é o padrinho do bar. (Tiago Gonçalves)
Eduardo Gudin agora é o padrinho do bar. (Tiago Gonçalves)
Uma constelação de estrelas da música se apresentaram no icônico bar. Por lá se apresentarm Adoniram Barbosa, Paulinho da Viola, Yamandu Costa, Leila Pinheiro, Vânia Bastos, Paulo Vanzolim, Arrigo Barnabé e o próprio Eduardo Gudin com o parceiro Paulo Cesar Pinheiro. Da nova geração, a cantora Lela Simões com o violonista Maurício Sant’Anna.

No ano 1968 começa a história do bar. O fundador foi o músico e boêmio Murilo de Barros. Logo depois, o pandeirista Dagoberto Moura, o Dagô, assumiu o negócio e com sua morte, o filho levou o bar com dificuldades. Eduardo Gudin, autor de sucessos como ‘Verde’ e ‘Mordaça’, frequentava o bar e quando lhe ofereceram o bar em 2003, aceitou.

Nos últimos tempos, Gudin dizia “que estava difícil manter o negócio apesar da ajuda dos amigos” e que o fechamento do bar era uma opção. Recentemente, no Facebook do bar, uma mensagem dizia que “sem lamento o Bar do Alemão iria fechar as portas no dia 14 de novembro”. Gudin lembra que em 2003 “Minha ligação com ele sempre foi muito forte, tanto que a foto da capa do meu disco de 1973 é uma foto no local e eu não queria que a capa do meu disco fechasse. Assumi o bar e o fiz renascer”, relembra o compositor.

Leia Simões e Maurício Sant'Anna, presença constante no bar. (Divulgação)
Leia Simões e Maurício Sant’Anna, presença constante no bar. (Divulgação)
Depois de anunciado o fechamento, uma grande comoção acometeu os frequentadores e amantes da casa. Inúmeras reuniões aconteceram em busca de uma solução para que o bar continuasse aberto e ativo e sem alterar as características. O local sempre foi de resistência do samba tradicional e da boa música brasileira.

Paulinho da Viola e Paulo Cesar Pinheiro foram dois artistas que se movimentaram para que o bar não fechasse as portas. Nestas últimas semanas todos os dias, a casa lotou.

E dias antes do derradeiro show, foi anunciado que o comando da casa passa para Clovis Fenelon Machado, um antigo cliente, advogado, também amigo do antigo proprietário Dagoberto Marques. Ao lado de Clovis, está Heleno Anselmo, atual cozinheiro do bar, que agora direciona os olhos e talento para além do fogão.Gudin permanece como eterno padrinho do Bar do Alemão. A direção artística da casa continua com Livia Mannini, produtora cultural da casa.

“Felizmente, Heleno e Fenelon abraçaram-se na empreitada”, diz Gudin que completa “O importante é que a nossa emoção sobreviva”, finaliza ele citando o lema da casa, verso da canção “Mordaça” que Gudin fez em parceria com Paulo Cesar Pinheiro. Além da ótima música, incluindo o chorinho de segunda com Luiz Nassif e convidados, chope geladíssimo, bons pratos e petiscos e a música do Brasil vão continuar naquele endereço da Avenida Antártica. (GA)

Bar do Alemão, venida Antártica, 554, Água Branca, Telefone 3862-5975, Abre às 17h30, www.facebook.com/obardoalemao, Instagram @obardoalemao

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA