A ONG Espaço Ser trabalha pela vida

0
111

Foto: Divulgação

Divulgação
Espaço Ser em defesa da vida

A ONG Espaço Ser – Casa Matheus Campos, com sede na Pompeia, aposta no trabalho voluntário com terapias integrativas – como reriki, acupuntura e tai chi chuan – para auxiliar crianças, jovens e pessoas com tendências suicidas a evitarem atentar contra a própria vida e saírem da depressão, atuando de forma complementar aos tratamentos psiquiátrico e psicológico.

Quem tem filhos adolescentes em casa com certeza tem em mente aquela lista básica de assuntos que devem ser discutidos pela família. A lista, com o avanço das redes sociais, é preciso considerar a instabilidade emocional que pode levar à depressão e ao suicídio. Dados de 2018 divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) dão conta de que o suicídio é, segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Nos últimos 18 anos, segundo a OMS, houve um aumento de 62,5% na taxa de mortes por suicídio no planeta, e a cada ano, cerca de 10 mil casos de atentados contra a própria vida no Brasil e 800 mil em todo o mundo.

O casal Tania Iorillo e Fernando Campos – que vivenciou o suicídio de seu filho de 14 anos – decidiu montar uma ONG para auxiliar jovens em situação de risco de suicídio. Assim nasceu o Espaço Ser – Casa Matheus Campos, na Pompeia. “Precisamos acordar, falar, debater incansavelmente sobre a depressão e outros transtornos mentais que levam ao suicídio, pois as estatísticas são assustadoras e aumentam a cada dia”, diz Fernando.

Trabalho volta aos jovens (Divulgação)
Trabalho volta aos jovens (Divulgação)
O Espaço Ser oferece tratamento complementar aos essenciais – psiquiátricos e/ou psicológicos – a crianças, jovens e pessoas que apresentam problemas como automutilação, pensamentos suicidas ou tentativas anteriores de suicídio e vazio profundo. “Somos uma ONG sem fins lucrativos, composta 100% por voluntários, e mantida por doações”, explica.

O espaço utiliza o protocolo terapêutico da Carta de Ottawa da OMS, da qual o Brasil é signatário e define saúde como uma forma de bem-estar. Aqui são aplicadas várias terapias, dentro das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do SUS, como acupuntura, arteterapia, canto e dança, musicoterapia, reiki, tai chi chuan e ioga.

O tratamento é gratuito, mas quem tem condições de pagar contribui com uma taxa mensal. Desde 2017, a ONG já atendeu cerca de 200 famílias. Para ser aceito, o participante precisa estar em tratamento psicológico e/ou psiquiátrico e não ser dependente químico ou de qualquer tipo de substância alucinógena. “Nosso objetivo é a promoção da saúde e dar esperança para o tratamento da depressão e de outras patologias, a melhoria da qualidade de vida dos participantes e da estabilização emocional deles e de suas famílias”, explica Fernando Campos. (Lucia Oliveira)

Espaço Ser – Casa Matheus Campos, Telefone 97173-1792, www.espacoser.org.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA