A arte da restauração

0
639

Foto: Gerson Azevedo

Gerson Azevedo
Marcia e Rosmeire, da Caliza Restaurações

A pintura sofreu ação do tempo ou rasgou? A peça de porcelana quebrou ou lascou? O cristal trincou ou riscou? A restauração da peça, feita por profissionais, pode ser a solução para trazer nova vida às peças.

O ateliê de restauração Caliza, na Pompeia, das sócias Rosmeire Fusco e Marcia de Oliveira, existe desde 1990 e sempre esteve localizado na região. “Começamos e ficamos muitos anos na rua Caiubi e desde 2013 estamos aqui na Pompeia”, conta Marcia.

Segundo elas, tem clientes que trazem as peças para restaurar ou fazer manutenção desde quando começaram.

“O trabalho de restauração é complexo e exige conhecimento técnico, artístico e precisão”, esclarece Rosmeire que assim como Marcia é formada em artes plásticas. A entrada delas neste mercado aconteceu aos poucos. Fizeram parte de outros ateliês especializados em restauração. Com a experiência, estudo e dedicação foram se aprimorando cada vez mais na arte. Se mantêm atualizadas através de cursos de especialização e leitura (arte, história, materiais) além de outras fontes de consultas.

“Antes de iniciar a restauração analisamos a peça para conhecer sua história, material. No caso das pinturas, as cores originais e a técnica do artista são fundamentais”. Para ilustrar o que falam, mostraram uma tampa restaurada de um vaso chinês. A foto do antes, todo quebrado, parecia indicar que não teria conserto. Marcia mostra a peça pronta e só um especialista, como elas, pode indicar onde a peça foi restaurada. “É o prazer do trabalho bem feito”, diz, orgulhosa do trabalho finalizado.

O Caliza (o nome foi criado por Rosmeire através de um estudo) restaura peças em madeira, arte sacra, bonecas de biscuit, bronze, cristais, vidros e gallê, documentos e livros, fotos deterioradas, gesso, gravura, pintura, lustres, marfim, mármores, mosaicos, porcelanas. A lista é grande.

“Para a madeira, os cupins são os principais problemas apresentados nas peças. Neste caso, antes do restauro da peça é preciso eliminar os insetos. Temos uma câmara aqui no ateliê para fazer isso”, cita Márcia de um dos trabalhos mais comuns que elas realizam.

Muitos dos clientes de Marcia e Rosmeire exigem discrição e sigilo. Museus, colecionadores, antiquários, galerias de arte, empresas e particulares fazem parte da lista de clientes. Mas informam que muitas das restaurações que fazem envolve mais valor afetivo do que financeiro. “Uma peça da infância, aquela única foto de alguém muito querido, para o dono, vale muito”, lembra Rosmeire.

A avaliação do restauro necessário e valor do serviço é feita por elas. O prazo de entrega varia pela complexidade do trabalho. Mas a garantia a perfeição é um dos trunfos que a Caliza oferece a quem procura seus serviços. (GA)

Caliza Restauração, Rua Raul Pompeia, 258, Pompeia, Telefone 3673-4568 e 98341-6682 (Whats), www.calizarestaura.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA