Comunidade ganha rádio

0
1697

A Pompéia e região estão prestes a ganhar uma rádio comunitária. A iniciativa partiu do Centro Cultural Pompéia que, em 1998, se inscreveu no projeto do Ministério das Comunicações para obter uma concessão para implantação e funcionamento da rádio.
No final de 2006, o Ministério abriu edital de convocação coletiva, e o Centro Cultural foi aprovado nas primeiras etapas. Agora, chegou à fase de legitimação do pedido, ou seja, instituições, entidades, associação de moradores, membros da comunidade, podem endossar o pedido da rádio ao Ministério, por meio de manifestação de apoio individual ou coletivo (abaixo-assinado).
“Precisamos ter, no mínimo, dez mil assinaturas. O abaixo-assinado vale tanto para as pessoas que residem no bairro ou que trabalham por aqui. E se na mesma casa morarem cinco pessoas, por exemplo, todas podem e devem assinar”, diz Marcos Moreira Vaz, coordenador da campanha da rádio comunitária. Caso passem por esta etapa, a previsão é que a rádio esteja no ar até o final de fevereiro de 2008. “A antena será colocada no Centro Cultural e a rádio atingirá da rua Aurélia, na Vila Romana, até o outro extremo, que é o Parque da Água Branca. E também do Viaduto Pompéia até o Sumarezinho, aproximadamente”.
Marcos lembra que a rádio comunitária é de todos, por lei e por direito. A comunidade precisa se apropriar deste meio de comunicação e fazer bom uso dele. Por exemplo, se uma escola aderir à campanha, poderá ter seu espaço na rádio para desenvolver projetos com os alunos. O mesmo acontece com a universidade, o comerciante e o morador do bairro. “Todos terão espaços abertos ao diálogo”. E ele acrescenta: “A rádio comunitária é importante não só por ser um veículo de comunicação, mas por ser uma ponte entre as pessoas do bairro e diversos setores da sociedade. Ela presta um serviço de caráter público. Se o ‘seu’ João quiser ter seu programa de meia hora, com músicas da década de 1940, uma coisa bacana, ele pode ter. É só uma questão de viabilizar”.
Para fazer sua manifestação de apoio individual ou coletivo, basta ir até o Centro Cultural Pompéia ou falar com Regina, responsável pela organização da coleta do abaixo-assinado, pelo telefone 3875-2996. O prazo é dia 3 de março.
Feira
As inscrições para a Feira de Artes da Vila Pompéia estão abertas. Para celebrar a 20ª edição, os organizadores prometem uma programação especial. O evento ocupará seis ruas do bairro, com sete palcos, três parques infantis e 800 expositores. Pelos palcos principais, grupos do jazz ao rock, da MPB ao hip-hop, do instrumental ao eletrônico, se revezarão, das 9 às 19h, no dia 20 de maio.
Destaque também para o lançamento de um CD duplo, com uma coletânea dos principais músicos brasileiros que já passaram pela feira e o lançamento de um livro/revista com a história do evento. “A idéia é relembrarmos e homenagearmos pessoas que participaram da Feira de Artes e fizeram história. Mostrar também que não é apenas um dia de festa, mas sim um evento rico culturalmente e importante para a cidade de São Paulo e seus moradores”, afirma Cleber Falcão, presidente do Centro Cultural Pompéia.
Além das atrações para todas as idades e gostos, Cleber destaca a importância da participação dos expositores, agregando ao evento a característica de um importante pólo de negócios para quem produz moda, artesanato, fotografia, design e alimentação.
As inscrições começam no dia 5 de maio. Mais informações no Centro Cultural Pompéia.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA