Um espetáculo diferente

0
1048

Os portões se abrem. A torcida que esperava ansiosamente do lado de fora finalmente pode pegar seu lugar na arquibancada. A recepção é a melhor possível: quitutes e até mesmo caipirinha antes da partida. O time entra perfilado no gramado sintético, acompanhado de duas bandas. Antes que o juiz sofra ataques ao nome de sua mãe, apite e comece o jogo, a torcida acompanha os jogadores na cantoria do hino do clube e são escolhidos, entre a platéia, um capitão para cada time. A partida então começa, com a tradicional “olla”.
O que pode parecer uma partida de futebol é na verdade uma das apresentações do “Jogando no Quintal”, espetáculo de improvisação de palhaços que reune uma multidão de até 2 mil pessoas num final de semana. Tudo começou há cinco anos, quando os atores César Gouvêa e Marcio Ballas iniciaram um trabalho de pesquisa procurando reunir duas das coisas que mais gostavam: palhaço e improviso.
A pesquisa das técnicas de improvisação cresceu, incorporando elementos da dança, música, linguagem corporal e vocal. O que parece acontecer naturalmente no palco é, na verdade, fruto de um intenso trabalho de preparação dos atores, que inclui treinamento semanal e o estudo constante das mais variadas linguagens que possam colaborar para o repertório de atuação do grupo. Um treinamento para verdadeiros palhaços-atletas.
Há três anos em cartaz, o espetáculo já se tornou um referencial em improvisação e atrai uma legião de fanáticos, que se deslocam a cada mudança assim como uma verdadeira torcida organizada. A participação da platéia é ativa. O público sugere os temas e os palhaços improvisam cenas num tempo determinado pelo juiz. Compor uma música, criar uma propaganda a partir de um objeto ou improvisar uma cena em apenas dez segundos são alguns dos desafios enfrentados pelos atletas. A bola é o tema dado pelo público, que também vota na melhor interpretação. Cada vitória vale um gol, marcado em um placar igual àquele usado em partidas de várzea.
Nos dias 21, 22 e 23 de abril, sexta e sábado, às 21h e, aos domingos, às 19h, o grupo faz novas apresentações. A abertura dos portões é sempre meia hora antes dos espetáculos. Os ingressos, a R$20,00, podem ser adquiridos no escritório do Jogando no Quintal, rua Cardoso de Almeida, 54, 3º andar, Perdizes, das 9 às 18h. O telefone é 3672-1553. Ou no Galpão do Circo, rua Girassol, 323, Vila Madalena. Telefone 3815-6147.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA