Universidade responsável

0
1547

De uns anos para cá, o País vem passando por uma transformação muito intensa. Com o desenvolvimento de uma cidadania mais participativa, vários projetos sociais foram (e são) desenvolvidos por instituições particulares, que suprem essa carência, agindo elas próprias como cidadãs conscientes de seu papel social.
Nesse contexto, destaca-se, na Zona Oeste, o trabalho desenvolvido pela Uninove, um centro universitário que oferece mais de 90 cursos superiores e de pós-gradução a mais de 60 mil alunos. O objetivo é claro: não basta formar profissionais, é preciso formar cidadãos conscientes e capazes de aplicar o conhecimento teórico adquirido. Numa avaliação feita com os alunos da universidade, 98% deles acham relevante trabalhar em projetos sociais.
Segundo dados de 2005, foram desenvolvidos 64 projetos sociais pela universidade, envolvendo as áreas de saúde, educação, meio ambiente, tecnologia e produção, trabalho, comunicação e cultura. Mais de 67 mil pessoas foram beneficiadas nessas ações, com o envolvimento de praticamente todos os alunos. Muitos projetos são desenvolvidos em parcerias com a prefeitura municipal, os governos estadual e federal, empresas privadas e ONGs.
De acordo com Paula Góes Bakaj Cavagnari, diretora de responsabilidade social e extensão universitária da instituição, todos os projetos são coordenados por professores e desenvolvidos pelos alunos, que podem escolher um projeto que mais se adeqüe ao curso ou ao seu perfil.
Na área de saúde, o destaque é o projeto Recordar é Viver, coordenado pelo curso de enfermagem, com objetivo de exercitar a memória e o resgate de conhecimento dos idosos, além de promover a integração entre eles. Outro projeto de sucesso, na área de comunicação, é o Guia da Melhor Idade, editado em parceria com a OAB-SP, onde os idosos podem conhecer melhor os seus direitos. Na educação, vários projetos foram desenvolvidos, todos visando a capacitação de alunos e professores para trabalhos junto a escolas públicas, hospitais, bibliotecas, brinquedotecas e também para auxílio de alfabetização de adultos.
Assim, de modo dinâmico e prático, a universidade vai exercendo seu papel educativo ao mesmo tempo em que envolve alunos e comunidades em projetos consistentes e de ampla repercussão na sociedade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA