Perfumes e suas histórias

0
1618

Foto:

Perfumes e suas histórias

Cada pessoa tem seu cheiro preferido… Tem quem goste de perfumes mais doces, ou mais amadeirados. E o Brasil vem crescendo cada dia mais no mercado de beleza como um dos maiores consumidores. Entre os produtos, está o perfume. As marcas nacionais e internacionais estão se consolidando e lançando produtos novos, enquanto outros aromas já se tornaram tradicionais e característicos da marca.
Pensando nesse mercado, a Faculdade Santa Marcelina acabou de lançar um novo curso de pós-graduação Lato Sensu: A Cultura do Perfume: Essência e Ciência. O curso não é voltado somente para profissionais da área de moda, design e publicidade, mas para outros profissionais que se interessem pelo tema.
“Temos um mercado muito grande em potencial, só que a gente não tem a cultura para se vender, comprar, as pessoas não sabem o que é uma nota olfativa, um acorde, não sabem o que e floral, amadeirado. E existe um interesse das pessoas”, conta a coordenadora do curso Andréia Miron.
No curso será abordado o universo das sensações, a trajetória do perfume na história da cultura e da moda, o comportamento do consumidor em relação ao design da embalagem, os métodos de adequação do produto ao mercado, estratégias de marketing, entre outros temas.
“A Givaudan, que é uma das principais casas de fragrâncias do mundo, nos procurou porque há dois anos já se cogitava que seríamos o primeiro consumidor na questão mundial de perfumes. Essa procura veio porque somos os pioneiros em moda, e moda e perfume é muito forte fora. Acabamos formando essa parceria com outras casas e associações”, diz ela.
A sala de aula do curso foi desenvolvida especialmente pela Todeschini para que atendesse as necessidades do curso, com ambientação e climatização específicas, como se fosse um laboratório para um perfumista.
A primeira turma já começou em março, mas uma nova terá início no começo de setembro. Para se inscrever, entre em contato com a faculdade. “O perfume está dentro da história das pessoas. A gente não está falando de algo novo, ou associação apenas à moda, mas algo que tem acompanhado a história do homem”, ela finaliza.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA