Parque ganha melhorias

0
1721

Foto:

Os animais terão tratamento especial

A principal área de lazer da região, o Parque da Água Branca, vai ganhar nos próximos meses um plano de manejo. Segundo o diretor do parque, o engenheiro-agrônomo Marcos Rangel Fernandes, “será uma forma para organizarmos e melhorarmos a ocupação do parque”.
O rascunho do plano será finalizado neste mês. Depois será encaminhado à Secretaria da Agricultura e Abastecimento a qual o parque está subordinado. “Posteriormente, vamos convocar a população para apresentar o projeto e receber críticas e sugestões”, informa o diretor. E até o final de abril, o projeto deverá estar disponível para consulta.
O plano vai regulamentar, entre outras coisas, o uso da água, o destino dos resíduos, além de tudo que envolve a flora e a fauna do parque. São eles, os animais, os grandes atrativos do parque e sua população está estimada em cerca de 800 animais. São galinhas, patos, gansos, peixes, tartarugas, pavões que circulam livremente pelos 109 mil m2 deste verdadeiro “oásis” da região.
O diretor adianta, que entre as novidades do plano, será criado um corpo de voluntários para cuidar dos bichos do parque. “Atualmente, existem pessoas que visitam o parque que alimentam os animais. O problema é que poucos  têm informações sobre o tratamento adequado a cada espécie”, alerta.
Por ter uma população muito grande de aves, será feito um remanejamento de alguns deles. “O número de galos no parque é grande em relação às galinhas. Como são animais territoriais, tem havido brigas entre os machos e eles acabam se ferindo e também machucando galinhas e pintinhos”.
Os futuros voluntários serão treinados para cuidar deses animais. O interessado só precisa assumir o compromisso de comparecer no dia marcado. Atualmente, há uma veterinária em tempo integral que está fazendo o levantamento da fauna e das suas necessidades.
O diretor lembra que é comum os frequentadores alimentarem os animais. O problema é que os pombos e os ratos acabam ficando com boa parte desta comida. “O pombo urbano transmite doenças graves e quem o alimenta está colaborando indiretamente para o aumento dessa população”.
O parque abre diariamente das 6 às 22h e a entrada é gratuita.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA