Sumaré exclusiva para pedestres

0
2642

Desde dezembro do ano passado, trecho das Avenidas Sumaré e Paulo VI fica fechado para os veículos e moradores ganham espaço de lazer.

A iniciativa de fechar esse trecho da Sumaré/Paulo VI faz parte do Programa Rua Aberta implantado pela Prefeitura de São Paulo desde 2015 em diversas regiões da cidade. O trecho é administrado pela Subprefeitura da Lapa. Apenas no primeiro domingo do programa, em dezembro, foram armadas tendas com educadores que ofereceram oficinas e outras atividades para as crianças.

São cerca de 900 metros da pista da Avenida Paulo VI, a partir da Praça Márcia Aliberti Mammana até o acesso à Rua Ministro Godói, na altura do 1.700 da Av. Sumaré, que ficam fechados para veículos das 10 às 17h. As avenidas se completam e só quem observa as placas consegue perceber se está na Sumaré ou na Paulo VI.

Av.Sumaré GA 22
CET monitora os acessos para impedir circulação de veículos.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) fecha com cavaletes os acessos para as ruas que cruzam as avenidas e viaturas ficam posicionadas nas extremidades fiscalizando o acesso de veículos. Cinco linhas de ônibus que passam em direção à Lapa e outros bairros têm, aos domingos, seu itinerário alterado. Por sua vez, a pista contrária – sentido metrô Sumaré – continua normal, com circulação de veículos e ônibus.

São caminhantes, corredores, ciclistas, skatistas, famílias com crianças, donos e seus cachorros e grupos de amigos, todos subindo e descendo o trecho pela avenida ou pela ciclofaixa que divide as duas pistas. Entre eles, o casal Roberto e Renata, moradores da região, com a filha Ana, de três anos, para andar de triciclo. Eles avaliam que é uma boa oportunidade para “tomar um sol e passear com a filha”, mas se sentem inseguros com os ciclistas que descem o trecho em alta velocidade. “O pessoal das bikes poderia descer mais calmo”, opina o pai.

Av.Sumaré GA 33
Domingo, das 10 às 17h, a exclusividade é da população. (Fotos/Gerson Azevedo)

Poderia ficar melhor ainda se a Praça Ana Maria Poppovic, que fica bem próxima à Praça Márcia Aliberti Mammana, estivesse em melhores condições de uso. Cercada com alambrados, a praça tem uma quadra de cimento gasta, com traves e resquícios de duas tabelas de basquete. Alguns bancos de cimento e apenas um conjunto de gangorras tem condições de uso. A grama foi aparada na primeira semana de março, mas é grande o volume de lixo e alguns buracos pelo gramado parecem não estimular a frequência. Por outro lado, a área anexa, reservada para os cães e seus donos, estava ocupada.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA