Escola estadual Miss Browne completa 90 anos!

0
2110

Criada em fevereiro de 1932 como grupo escolar Vila Pompeia, e em 1945 foi rebatizada como Miss Brown, essa escola estadual tem sua história ligada ao bairro e região.

O então grupo escolar de Vila Pompéia começou a funcionar em um imóvel na Avenida Pompéia, 249 em 1932. A escola reunia sete pequenas escolas do bairro. No ano de 1947, por falta de condições gerais, o prédio foi interditado e a escola deixou de funcionar até a conclusão do novo prédio na Rua Padre Chico 108 que foi inaugurado em 1950, no dia do aniversário de São Paulo, 25 de janeiro e as aulas foram retomadas no dia 23 de fevereiro.

Foi nessa época que a escola estadual ganhou o nome da professora e educadora norte-americana Marcia Priscilla Browne, conhecida como Miss Browne. A professora veio para o Brasil para organizar o ensino primário da escola americana que funcionava anexa ao Colégio Mackenzie e posteriormente passou a atuar da área de educação do Estado a convite do Dr. Horácio Lani. Na administração de professor Caetano Campos, então diretor da Escola Normal de São Paulo, a educadora assumiu a coordenação das classes da Escola Modelo e organizou o primeiro grupo escolar da capital.

A educadora Miss Browne foi diretora da Escola Normal de senhoras de Massachussets, fundada em 1848 por Horace Mann e cujas ideias inspiraram e modificaram o sistema pedagógico norte-americano. Os princípios do método é que a educação deve ser universal, gratuita, administrada pelo Estado e não por organizações eclesiásticas, os professores devem ser cuidadosamente treinados e a educação deve preparar tanto homens como mulheres.

Segundo relato de Caetano de Campos, Miss Brown, como era conhecida, é descrita como “mulher-homem [hoje esse termo não seria aceito!] e dotada de personalidade forte e enérgica”. A educadora tinha um senso prático e era muito organizada, mesmo não dominando o português, a professora teve importante participação na reforma do ensino paulista. Foi diretora da Escola Modelo que serviu de base para o modelo pedagógico adotado pelo Estado e que deu origem ao grupo escolar, hoje Fundamental. Miss Browne voltou aos Estados Unidos em 1896 e o governo do Estado lhe prestou as devidas homenagens pelos serviços prestados à educação. A pintora Anita Malfatti, que morava na Barra Funda, foi aluna de Miss Browne.

Hoje, a escola estadual tem 250 alunos matriculados nos ensinos fundamental e médio. 5 mil m² de área construída em 8 mil m² de terreno. Até 2020, foi oferecido o EJA, voltado para a alfabetização de adultos. A escola tem 17 salas de aulas, laboratórios de ciência e de informática (com internet e banda larga), biblioteca, sala de leitura, quadra de esportes, sala de professores e acesso para deficientes em suas dependências.

À frente dos 21 servidores está o diretor e professor Elton Souza dos Santos, desde julho de 2018. Ele ressalta a importância da escola estadual, “a EE Miss Browne continua sendo pioneira no ensino no bairro. Foi o primeiro grupo escolar da região e, hoje, é a primeira escola pública do bairro que integra o Programa de Ensino Integral (PEI) e isso é significativo por tudo o que representa para a construção da autonomia dos alunos”.

Segundo o educador, os alunos da Miss Browne “são oriundos de variadas regiões da cidade e de municípios vizinhos”.

Com a pandemia do Covi-19, a escola ficou fechada. Com a reabertura, Elton informa que a nova rotina da Miss Brown “A volta às aulas se dá cumprindo todos os Protocolos de Saúde, seguindo as orientações da Secretaria de Saúde. Há álcool em gel em todas as salas de aulas, nos corredores, no refeitório e nos demais ambientes escolares. Aferimos a temperatura de todos os que adentram a escola e, ao entrar, cada um higieniza as mãos com álcool em gel, disponível na entrada da escola”.

Em novembro de 2021, a escola recebeu um posto de vacinação contra o coronavírus. “Sempre buscamos parcerias que promovam e colaborem com a cidadania e o bem-estar da comunidade do entorno da escola”, diz o diretor.

Além de cumprir seu papel como centro de educação, a Miss Brown também tem uma participação cultural. Seus muros externos, durante as edições da Feira de Artes da Vila Pompeia, se transformam em uma galeria de grafites. “E espero que essa tradição seja retomada. A parte externa do muro lateral da escola, na Rua Caraíbas, tem sido cedida para os artistas da comunidade expressem suas ideias por meio das Artes”, afirma Elton. (GA)

Escola Estadual Miss Browne, Rua Padre Chico, 102, Pompeia, Telefone 3864-0967

Publicada na ed. 290

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA