Olha o Carnaval 2022 aí, gente!

0
2654

Foto: LigaSP/Divulgação

LigaSP/Divulgação
Desfile de 2020

Finalmente temos Carnaval! Nesta sexta-feira (22/4) começa o Carnaval Paulista com o desfile de catorze escolas de samba divididas em dois grupos com sete escolas cada um. Os desfiles que acontecem no Sambódromo do Anhembi. Na sexta-feira e no sábado. Mas aqui vamos tratar das três escolas que têm sede na zona Oeste: Dragões da Real, Mancha Verde e Águia de Ouro. Vamos lá!

Pelos 530 metros do Sambódromo idealizado por Oscar Niemeyer e inaugurado pela então prefeita Luiza Erundina em 1991, as 32 mil pessoas que provavelmente ocuparão arquibancadas e camarotes voltam a presenciar os desfiles que ficaram ausentes nestes dois últimos anos por conta da Covid-19. Entre as quatorze escolas, as três escolas de samba da zona Oeste terão Adoniram Barbosa (Dragões da Real), Planeta Água (Mancha Verde) e a Cultura Afro-Brasileira (Águia de Ouro).

Os desfiles terão início, informa a Liga-SP que organiza o carnaval paulistano, às 22h30 na sexta (22), Acadêmicos do Tucuruvi, Colorado do Brás, Mancha Verde, Tom Maior, Unidos de Vila Maria, Acadêmicos do Tatuapé e Dragões da Real. No sábado (23), Vai-Vai, Gaviões da Fiel, Mocidade Alegre, Águia de Ouro, Barroca Zona Sul, Rosas de Ouro, Império de Casa Verde.

Ensaio da bateria da Mancha Verde (Divulgação)
Ensaio da bateria da Mancha Verde (Divulgação)
Mancha Verde
Será a terceira agremiação carnavalesca a desfilar na sexta, 0h40. A Mancha Verde levará para o Sambódromo paulista o “Planeta Água”. Em síntese o desfile vai abordar a preservação e valorização da água. A escola levará 2.200 integrantes. A escola promete, assim como as outras, surpresas na evolução e carros alegóricos com a água em suas várias formas.

Segundo Paulo Ricardo de Moraes Bianchi, diretor de carnaval da Mancha Verde, “O enredo tem duas grandes vertentes, uma delas é a religiosa, como a água se introduz em várias religiões, e também, por outro lado, um tema atual, que é a escassez, mostrar como o homem maltrata a água”.

A letra do samba foi composta por Marcio André Filho, Marcelo Lepiane, Lico Monteiro, Rafael Ribeiro, Richard Valença, João Perigo, Solano Mota, Leandro Thomaz, Telmo JB, Lanza Muniz Moraes e Rosali Carvalho. E Fredy Vianna é o principal intérprete da Mancha Verde.

Escola fundada em outubro de 1995, a Mancha Verde tem na presidência Paulo Serdan; Guma Sena é o mestre de bateria; Marcelo Silva e Adriana Gomes, o 1º casal de mestre-sala e porta-bandeira; Paolo Bianchi é o diretor de carnaval; Marquinhos, Bruno e Danilo, são os diretores de harmonia; Viviane Araújo (grávida) é a rainha de bateria; e Wender Lustosa e Marcos dos Santos são os coreógrafos da comissão de frente. No último desfile, em 2020, a Mancha Verde ficou com o vice-campeonato.

Um dos carros alegóricos da Dragão da Real (Divulgação)
Um dos carros alegóricos da Dragão da Real (Divulgação)
Dragões da Real
A escola de samba da Vila Anastácio será a sétima escola a desfilar na sexta por volta das 5 horas. O paulistano Adoniran Barbosa será o grande homenageado. Na sinopse, a Dragões informa que Adoniran “o homem que falava aquilo que as pessoas enrolam pra dizer”. O desfile vai apresentar a vida do compositor que também é chamado de “o pai do samba de São Paulo”. Segundo a Dragões, o autor do “Trem das Onze”, “suas letras exaltaram o cotidiano de imigrantes, muito familiar a ele, e relataram temáticas de cunho social comuns em São Paulo, como o processo de urbanização acelerada, os problemas de habitação e a vida dos operários”.

Fundada no ano 2000, a Dragões da Real, é presidida por Renato Remondini, o Tomate; Jorge Silveira é o carnavalesco; Jorge Tornado comanda a bateria; Rubens de Castro e Evelyn Silva é o casal de mestre-sala e porta-bandeira; Marcio Santana é o diretor de carnaval; Rogério Magalhães Felix, é diretor de harmonia; Karine Brum é a rainha da bateria e Ricardo Negreiros é o responsável pela coreografia da comissão de frente. Em 2020, a Dragões da Real, ficou em 6º lugar.

Ensaio da Águia de Ouro (Divulgação)
Ensaio da Águia de Ouro (Divulgação)
Águia de Ouro
A campeã do desfile de 2020, a Águia de Ouro que tem sede na Água Branca desfila no sábado (23) às 1h45. A azul e branca tem como enredo uma homenagem à cultura afro-brasileira. A diversidade étnica, a pluralidade cultural e um manifesto contra a intolerância religiosa. Muito samba e axé é a promessa da Águia para o desfile de 2022.

Segundo a escola, “Que Oxalá atenda ao clamor de sete iaôs. Que o Grande Pai derrame sua luz sobre nós. Que saibamos pedir, mas também agradecer. Que seu Alá nos cubra com a profunda e verdadeira paz!”, diz o argumento do samba.

A letra do samba tem vários autores: Dominguinhos do Estácio, Jorginho Moreira, João Perigo, Lico Monteiro, Leandro Thomaz, Telmo Augusto, Lucas Valentin, JotaPê, Lanza RafaBerê, Araken Kaoma, Solano Laranjo, Serginho Rocco, Rosali Ahumada Carvalho, Lequinho, Júnior Fionda, Dedé, Rafael Santos, Chocolate, W. Corrêa, Vieira e Rafa Machado.
Quem vai levar o samba são os cantores Douglinhas Aguiar, Serginho do Porto e Darlan Alves.

O carnaval de 2022 da Águia de Ouro tem Sidnei França como carnavalesco; Sidnei Carriuolo é o diretor de carnaval; Mestre Juca Guerra é o comandante da bateria; Vanessa, Domênica e Marina são as rainhas de bateria; João Camargo e Ana Reis, são os mestre-sala e porta-bandeira; Roberto Mafra é o responsável pela comissão de frente.

A apuração do Carnaval 2022 será feita no dia 26 de abril.

A campeã volta a desfilar no sábado, dia 30 de abril. (GA)

Fonte: Liga-SP

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA