Seu bichinho|em boas mãos

0
1601

Foto:

Animal em tratamento

Tudo começou com uma pequena clínica de vacinas e banhos na Avenida Pompeia, 737, no final dos anos 1970. Três salas do imóvel eram designadas para o atendimento dos pacientes da região, uma para consulta, outra para fluidoterapia e a terceira para procedimentos. A qualidade do atendimento e os atributos técnicos fizeram a Clínica Veterinária Pompeia tornar-se uma referência no setor, consolidando a confiança e a imagem da clínica.
Quando em 1996, o arrojo dos responsáveis pela clínica resultou na opção de dar atendimento 24 horas por dia, o reconhecimento pelo público e da classe dos profissionais da área foi inevitável. A clínica passou a ser indicada por veterinários de outras cidades e de faculdades que não tinham capacidade de internação. Com o aumento da procura dos casos clínicos, a clínica passou a atender na Avenida Pompeia, 699, em um imóvel maior, cuja estrutura permitiu a implantação de especialidades, exames de imagem, raio X, ultrassom e ecocardiografia, além de três salas de internação. Segundo Ana Paula Madeira, médica-veterinária formada pela Metodista e diretora administrativa do Hospital Veterinário Pompeia, recebem bichos encaminhados por clínicas menores da região, ou pet shops que fazem primeiros atendimentos. “Infelizmente, algumas vezes recebemos casos que o bichinho está em tratamento a um longo período e os resultados foram pouco positivos”, pondera.
Hoje, a unidade conta com diversas especialidades: laboratório próprio, sala de cursos e palestras, serviço de estética e higiene e uma equipe cirúrgica preparada para realizar qualquer procedimento. Também é possível levar o animal para consultas com horários marcados para clínicos e especialistas. “Para alguns exames específicos, fazemos a coleta e encaminhamos ao laboratório, evitando o deslocamento do paciente”, salienta.
Com uma equipe de veterinários clínicos e especialistas, o Hospital Veterinário Pompeia tem cerca de 50 profissionais atendendo de segunda a segunda. Recebe em média 200 estagiários por ano, encaminhados por mais de 40 faculdades.
Para o período de festas de final de ano, a diretora alerta: “o animal não pode de maneira nenhuma comer a mesma comida que o dono, mesmo que seja um porção pequena”, alerta, para evitar problemas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA