Do grão ao risoto

0
1354

Foto:

Geraldo (D) na inauguração

Mais uma opção de comida artesanal chega no bairro da Pompeia. Aberto há pouco mais de três meses na rua Ministro Ferreira Alves, o Café e Bistrô Ministro agora também abre para o almoço. Num esquema que oferece bufê de saladas especiais, grelhado, uma sopa ou um creme de entrada, e uma iguaria assada, o cliente desfruta desse bufê pagando um preço único de 21 reais.
Na parte de baixo funciona o bistrô e no andar de cima, o que pega é o ambiente de boteco, conta Geraldo Chamilet, um dos proprietários do local. No cardápio, a elaboração segue a linha conceitual do restaurante. O visitante encontra desde os matinais, café, chá, pão de queijo, tortas doces, quiches, salgados e bolos que enchem os olhos e dão água na boca.
Inventivo e inquieto, o empresário explica que a ideia inicial era ter um estabelecimento com ligação direta com a Metabolismo Academia, da qual também é proprietário. “Com o tempo vimos que misturar os frequentadores da academia com o ambiente do bistrô poderia sair um pouco da linguagem que a gente estava buscando”, comentou.
Com capacidade para 62 pessoas sentadas, a parte superior do imóvel é procurada pelo público que fecha o local para comemorações particulares ou festas temáticas e corporativas, diz o empresário. “O pessoal gosta bastante de se reunir nesse espaço porque ele favorece uma privacidade maior. Além disso, fazemos pelo sistema de comanda individual por cliente e não cobramos pelo aluguel, atualmente”. A partir de 30 pessoas, informa, o ambiente é reservado somente para o grupo interessado.
A diversidade do cardápio é o destaque da casa que reúne os pratos mais elaborados e artesanais, somando as comidinhas de boteco que não dispensa as delícias tentadoras como porções e sanduíches e, claro, os matinais anteriormente mencionados. Um quesito para lá de especial e original, comenta, a porção de ovos mexidos podem ser pedido entre os matinais ou no lugar dos grelhados que acompanham os pratos.
E quem tiver a coragem de negar que muitas vezes trocou um grelhadinho por uma iguaria de ovos que só a mãe da gente sabe fazer, pode ousar sem susto. E se você entendeu o que a reportagem quer dizer quando diz “só a mãe da gente sabe como”, corra lá e faça o seu pedido.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA