Duas exposições com entrada franca em homenagem ao aniversário do Memorial

0
836

 

“WIFREDO LAM: O ESPÍRITO DA CRIAÇÃO” e “OURO – Espírito e Natureza de um Território”, fazem parte das comemorações em homenagem ao aniversário do Memorial, que completou 27 aninhos no dia 18/03.

No dia do seu aniversário, 18 de março, o Memorial da América Latina inaugurou a exposição “OURO – Espírito e Natureza de um Território” do artista colombiano Pedro Ruiz. Um retrato da flora e da fauna do país vizinho, Colômbia, as 36 obras que compõem o acervo poderão ser visitadas até o dia 18 de maio no Espaço Gabriel García Márquez, anexo ao Pavilhão da Criatividade, na Praça da Sombra. A entrada é gratuita.

Exposição_OURO_GAK_1026
Exposição_OURO_GAK_1026

O artista, formado na Escola Nacional de Belas Artes de Paris, concebe sua obra como uma instalação em que harmoniza quadros, música, iluminação e até a pintura das paredes do espaço, em preto.

Assim, quando chega ao recinto, o espectador se verá em um ambiente escuro em que a luz estará dirigida pontualmente para a montagem da mostra, realçando a cor dourada de cada obra. São pinturas de tamanho pequeno (a maioria não chega a 50 cm de altura)  que devem ser vistas com lupa para apreciar os detalhes. Nelas, Ruiz retrata a natureza, o povo, a música e a dança, tematizadas à luz da questão social vivenciada pelos migrantes colombianos que vêm perdendo seu território.

Já a exposição do artista cubano Wifredo Lam, que conviveu com Picasso, Breton e Miró, começou no dia 23 de março e fica em cartaz até o dia 1º de maio na Galeria Marta Traba do Memorial da América Latina. São 80 obras, entre gravuras e pinturas inéditas, pertencentes ao acervo do Museu de Belas Artes de Cuba.

Os trabalhos de Lam são do período de 1939 a 1976 e enfatizam a natureza experimental e o desenvolvimento progressivo do artista nas diferentes fases de sua estreita relação com as culturas marginalizadas e a transposição poética destas para a pintura a partir do seu domínio absoluto do cubismo e do surrealismo. Essas influências de Lam vêm do período em que conviveu com Picasso, Breton e Miró e representantes do realismo mágico como os franceses Gherasim Luca, Dominique Agostini, José Pierre e o colombiano Gabriel García Márquez.

Segundo Roberto Cobas, curador da exposição – que esteve recentemente no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba –  “Lam adotou linguagens das vanguardas europeias, em especial do surrealismo, criando uma linguagem pictórica e única. O surrealismo do artista traz uma adaptação de elementos procedentes do cubismo e do surrealismo ao universo poético dos cultos afro-cubanos”.

 

Serviço

Exposição “OURO – Espírito e Natureza de um Território”
Data: Até 18 de maio de 2016
Visitações: terça a domingo, das 9h às 18h
Local: Espaço Gabriel García Márquez – Memorial da América Latina (ao lado do Metrô Barra Funda)
Acesso: portões 8 e 9
Classificação: Livre
Entrada gratuita

 

Exposição: Wifredo Lam – O Espírito da Criação
Até 1º de maio de 2016
Galeria Marta Traba
Memorial da América Latina/Metrô Barra Funda
De terça-feira a domingo, das 9h às 18h
Entrada gratuita (portões 1, 2 e 5)
Estacionamento: portões 4, 8 e 15

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA